Notícias Literárias Breves

Latest Updates RSS


InArte ENCONTROS programao GERAL.pdf

INARTE – Seminrio 2010.pdf

INARTE_Ficha Inscrio_Seminrio 2010.doc

INARTE_Ficha Inscricao_Workshop 2010.doc

 
  • 13:48 on novembro 7, 2010 | 0 | # |

    Envio, em anexo, o convite para meu autógrafo na Feira do Livro de Porto Alegre.
    Se puderem comparecer, será uma alegria para mim.
    Obrigada e felicidades a todos!
    Abraços,
    Fernanda

     
  • 12:54 on novembro 1, 2010 | 0 | # |

     
  • 22:46 on outubro 17, 2010 | 0 | # |

    XVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE POESIA HOMENAGEIA FERREIRA GULLAR

    Pela primeira vez nos últimos quinze anos o Congresso Brasileiro de Poesia não é realizado na primeira semana de outubro e sim, no final do mês. A edição deste ano acontece de 25 a 29, na cidade de Bento Gonçalves e homenageará os 80 anos de Ferreira Gullar.

    Como já é tradição, mais uma vez a Capital Brasileira da Uva e do Vinho abrirá suas portas para a caravana de poetas que participarão da décima-oitava edição do Congresso Brasileiro de Poesia, um dos maiores encontros de poetas da América.

    Tendo como tema “O viajante da Poesia”, em homenagem ao poeta Ferreira Gullar, aproximadamente cento e cinquenta poetas dos mais diversos estados brasileiros e de alguns países já confirmaram presença e participarão de uma programação diversificada com muitos recitais, performances, rodas de poesia, espetáculo teatral, palestras nas escolas e debates sobre as diversas formas do fazer poético.

    A abertura do evento acontece no Salão Nobre da Prefeitura Municipal às 17 horas do dia 25, com performance do grupo carioca “Simplesmente Poesia” e um recital em homenagem ao poeta Oscar Bertholdo, por parte de alunos da Escola Estadual Dona Isabel.

    À noite, no anfiteatro Ivo Da Rold, na Fundação Casa das Artes, acontece mesa redonda sobre a obra do poeta Ferreira Gullar, coordenada por Eduardo Tornaghi, seguida de performance e recital poétco.

    A partir da manhã de terça-feira, as atividades acontecerão no auditório do SESC, Biblioteca Municipal, Vai Del Vino e nas escolas do município.

    Escolas continuam sendo prioridade do evento

    Trinta e duas escolas do município participarão do evento deste ano, recebendo os poetas em suas dependências e doze delas deslocarão alunos para participar de atividades que acontecerão nas dependências do SESC. Os poetas também irão ao Presídio Municipal, APAE, Lar do Ancião, Centro de Atenção Psico-Social e ao Hospital Tacchini.

    Entre os principais projetos que tradicionalmente compõem a programação oficial do evento destacam-se: “Poesia na vidraça” (que começa a ser executado já na terça-feira, dia 19, e consiste na utilização das vitrines das lojas do centro da cidade para exposição de poemas de autores brasileiros), “Poesia numa hora dessas?” (quando poetas apresentam recitais em repartições públicas e privadas), “Uma idéia tece a outra” (realizado na Biblioteca Municipal e que consiste no ‘empréstimo’ de um poeta a uma turma de alunos), além das tradicionais rodas de poesia na Via del Vino.

    Recitais deverão fazer a diferença

    Os organizadores mais uma vez apostam na realização de recitais de diversas correntes poéticas para garantir o sucesso dos eventos. Neste ano, dividirão o palco do SESC e de algumas escolas performances poéticos dos estados do Amapá, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul além de México, Chile e Uruguai.

    No palco do SESC, além doS grupo “Poesia Simplesmente” E “Tatamirô”, também apresentarão recitais e performances os seguintes poetas: Renato Gusmão, Marcos Bahrone, Artur Gomes e May Pasquetti, Dalmo Saraiva, Jiddu Saldanha, Telma da Costa, Edmilson Santini, Tanussi Cardoso e Delayne Brasil, Casa do Poeta de Camaquã, Casa do Poeta Latino-Americano, Confraria Cappaz e Comunidade Poemas à Flor da Pele.

    Junto com o XVIII Congresso Brasileiro também serão realizados o XVIII Encontro Latino-Americano de Casas de Poetas, a XV Mostra Internacional de Poesia Visual, neste ano coordenada pelo poeta português Fernando Aguiar, e o XXI Salão Internacional de Artes Plásticas do Proyecto Cultural Sur/Brasil, organizado pela AAPLASG.

    O evento é promovido pela Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves, através da Secretaria Municipal de Educação, SESC e é realizado pelo Proyecto Cultural Sur/Brasil. O apoio é da Câmara de Vereadores e Sindilojas.

     
  • 16:39 on outubro 11, 2010 | 0 | # |

    Musical “Ópera Profano” une poesia e ousadia no palco

    Com enredo polêmico, texto de Carlos Correia ganha montagem de Guál Dídimo e Haroldo França. Um total de 17 canções foram compostas para o projeto.

    Mais informações: http://www.operaprofano.com.br

    Imagine se a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, a mesma usada em todas as romarias do tradicional Círio, fosse furtada por um travesti e acabasse indo parar dentro de um cinema dedicado à exibição de filmes adultos. Um cinema freqüentado por transexuais, garotos de programa e jovens da classe média. Pois esse é o inquietante mote do espetáculo “Ópera Profano”, que estreia no próximo dia 14, às 21h, no Teatro Universitário Cláudio Barradas. Com dramaturgia assinada por Carlos Correia Santos e direção de Guál Dídimo e Haroldo França, a montagem fica em cartaz até o dia 17. O texto de Correia ganhou, em 2005, o Prêmio Literário Cidade de Manaus, foi publicado em livro e agora chega aos palcos. Concebida sob o formato de musical, a peça reúne atores, cantores, bailarinos, coreógrafos, músicos e cenotécnicos de forma ainda pouco comum na cena teatral local. Um total de 17 canções, completamente autorais, foram compostas especialmente para o projeto.

    “Trata-se uma montagem corajosa, que tem sido concebida há cerca de dois anos. O que se verá em cena é um resultado intenso e bastante poético.”, adianta Carlos. Guál Dídimo ressalta que o trabalho aposta de forma ousada em um gênero desafiador, ainda pouco usual na região Norte. “Temos orgulho de dizer que esse é um espetáculo de teatro musical. Eu e Haroldo mergulhamos num processo de encenação que valoriza essa característica da obra original. Não é uma peça com canções pontuando diálogos, e sim um trabalho em que a música é também uma das protagonistas”.

    Haroldo França conta que o processo de construção do espetáculo exigiu vários esforços: “Criamos as melodias para as letras do texto original, propusemos alguns outros momentos musicais e ainda fizemos a seleção e a preparação do elenco, que precisava ter habilidades particulares. A concepção que idealizamos exigia atores-cantores”.

    ELENCO

    O time de artistas que dá vida aos provocativos personagens é, de fato, especial. A produção marca a estreia como atriz da cantora Cacau Novais. O cantor Léo Meneses interpreta o travesti Baby. Dário Jaime e Fábio Tavares vivem, respectivamente, os travestis Tota e Mira. O elenco conta também com Tiago de Pinho, Marlene Silva, Leonardo Bahia e Rafael Feitosa. A encenação tem ainda as participações dos bailarinos Angélica Monteiro, Franco Salluzio, Isabel Lobato e Nigel Anderson. As apresentações terão execuções musicais ao vivo conduzidas por Welliton Barreto (percussão), Guál Dídimo (teclado), Armando Mendonça (viola) e Ramón Rivera (violão). A concepção de luz é de Sônia Lopes. O visagismo é de Nelson Borges e as fotos de divulgação são de João Ramid.

    O tema polêmico proposto pela obra de Carlos Correia trouxe uma dificuldade que, no final das contas, não impediu o êxito da produção: “O espetáculo não conta com nenhum patrocinador. Temos grandes apoiadores, como Tina Sâmia (Pink Android), o fotógrafo João Ramid, a Raf Mix, que cedeu material de maquiagem, e o visagista Nelson Borges. Mas não conseguimos que nenhuma marca quisesse se associar a uma peça em que travestis se mostram tão devotos quanto quaisquer outros cidadãos e reivindicam o direito de se aproximar da imagem de Nossa Senhora”, afirma Correia. Guál, no entanto, mantém-se otimista: “Tomara que isso mude. Ainda esperamos sensibilizar alguma empresa. Esperamos contar com patrocínios para outras temporadas da peça. Nossa meta é que o espetáculo tenha vida longa porque as questões colocadas em cena precisam ser vistas, ouvidas e debatidas”.

    ENREDO

    Na trama criada por Carlos Correia Santos, o travesti Tota provoca um tumulto na capela de onde sai a procissão da trasladação. Em meio à confusão, ele furta a imagem da Santa e a leva para um tradicional cinema de filmes pornográficos que, ironicamente, fica bem em frente à Basílica Santuário. O ato tresloucado tem uma razão afetiva: Tota quer realizar o sonho de sua colega travesti Baby. Dentro do cinema, lutando contra as complicações decorrentes do HIV, Baby sonha em se aproximar de Nossa Senhora e rezar por um bom descanso. Em meio a este caos emocional também se encontram um ríspido garoto de programa chamado Lucas, o jovem Ângelo, que freqüenta o local sem que sua conservadora família suspeite, e o decadente travesti Mira que, na juventude teve um filho, do qual não possui mais qualquer notícia. Pontuando o drama, três misteriosas figuras, uma mulher e dois conselheiros, transitam por entre os personagens sem serem vistos e tentam entender por qual razão todas aquelas vidas são completamente ignoradas pela sociedade.

    Serviço: Ópera Profano – O Musical. Dias 14, 15, 16 e 17 de outubro, às 21h, no Teatro Cláudio Barradas (Jerônimo Pimentel com Dom Romualdo Seixas). Ingressos: R$ 20,00 com meia para estudantes. Apoio: Pink Android, João Ramid e Raf Mix. Mais informações em http://www.operaprofano.com.br

    FICHA TÉCNICA

    Da Obra de Carlos Correia Santos

    (Vencedora do Prêmio Literário Cidade de Manaus)

    ÓPERA PROFANO

    Adaptação Dramatúrgica e Música:

    Guál Dídimo e Haroldo França

    Arranjos:

    Armando Mendonça e Ramón Rivera

    Letras:

    Carlos Correia Santos, Guál Dídimo e Haroldo França

    Elenco:

    Tiago de Pinho (Ângelo)

    Léo Meneses (Baby)

    Fábio Tavares (Mira)

    Marlene Silva (Conselheira)

    Leonardo Bahia (Conselheiro)

    Rafael Feitosa (Lucas)

    Dário Jaime (Tota)

    A Misteriosa (Cacau Novais)

    Bailarinos convidados:

    Angélica Monteiro

    Franco Salluzio

    Isabel Lobato

    Nigel Anderson

    Coreografias:

    Franco Salluzio

    Guál Dídimo

    Nigel Anderson

    Músicos:

    Welliton Barreto (percussão)

    Guál Dídimo (teclado)

    Armando Mendonça (viola)

    Ramón Rivera (violão)

    Arranjos adicionais:

    Gabriel Paganine

    Thales Branche

    Concepção de luz:

    Sônia Lopes

    Operação de luz:

    Frank Costa

    Visagismo:

    Nelson Borges

    Vídeo e Som:

    Haroldo França

    Fotos:

    João Ramid

    Designer gráfica:

    Tina Sâmia (Pink Android)

    Assessoria de comunicação:

    Carlos Correia Santos

    Direção Adjunta: Haroldo França

    Direção geral: Guál Dídimo

     
  • 19:15 on outubro 6, 2010 | 0 | # |

    .

     
  • 20:44 on outubro 4, 2010 | 0 | # |

    Seminário Vozes da Globalização

    Módulo IV – Reinventando Afroidentidades

    APOIO CULTURAL – ASSOCIAÇÃO CULTURAL MORRO DO QUEROSENE

    Aos sábados – das 10h30 às 12h30

    Uma série de oito palestras que propõe a discussão da afroidentidade na contemporaneidade e sua interface na Literatura, na História nas Artes Plásticas e na Música. Especialistas – professores universitários e literatos – farão incursões sobre grandes problemáticas atuais, propondo uma reavaliação das representações do negro. A participação é aberta a todos. As palestras são independentes, apesar de versarem sobre temáticas semelhantes. A entrada é franca, e cada palestra dá direito a um certificado de horas culturais.

    Palestra – Teu cabelo não nega: a representação da mulher negra na canção brasileira

    Dia 09/10 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Ana Maria Dietrich e Cícero Barbosa

    Palestra – A literatura africana contemporânea e a questão do deslocamento
    Dia 16/10 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Vanessa Molnar

    Palestra – Mulheres negras na literatura
    Dia 23/10 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Benedita da Silva

    Palestra – Narrativas infantis africanas na literatura
    Dia 06/11 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Kiusam Oliveira

    Palestra – Alternativas do escritor colonizado:
    A escrita à serviço das identidades nas literaturas angolana e moçambicana
    Dia 27/11 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Cristiane Santana

    Palestra – Solistas dissonantes: história de cantoras negras

    Dia 04/12 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Ricardo Santhiago

    Palestra – A representação do negro no modernismo brasileiro

    Dia 11/12 – (sábado) das 10h30 às 12h30
    Palestrante: Renato Gilioli

     
  • 10:54 on setembro 30, 2010 | 0 | # |

    Lançamento do livro de Apolo Caratateua.

     
  • 10:41 on setembro 30, 2010 | 0 | # |

    Bienal do Livro na Bahia

     
  • 19:10 on setembro 28, 2010 | 0 | # |

    Nesta sexta-feira, 1º de outubro, Apolo Monteiro Barros lançará na FCV/Casa da Linguagem os livros: “CABANAGEM: a Tomada do poder” e “JÚLIO CÉSAR: o paraense voador”.

    No livro “CABANAGEM: A tomada do poder”. Apolo utiliza-se da Literatura de Cordel para falar da grande rebelião popular que eclodiu na província do Pará em 1835, e que contou com a participação da população pobre que vivia em cabanas à beira dos rios. Já em “JÚLIO CÉZAR: O paraense voador”, ele presta homenagem a Júlio Cézar, nobre filho de Acará, nascido em 13 de junho de 1843, que levantou balões pequenos, com até dez metros, presos a cordas e demonstrou a eficácia do seu invento através de manobras contra o vento. Júlio Cézar também foi poeta, e por muitos foi considerado Príncipe dos poetas.

    Apolo Monteiro Barros, ou Apolo da Caratateua, nasceu na cidade de Recife em Pernambuco. Gráfico de profissão especializou-se em serigrafia, função que exerce até hoje. Chegou a Belém em dezembro de 1989. Iniciou-se na poesia no ano de 2004, através da participação em uma oficina de Literatura de Cordel realizada pelo Instituto de Artes do Pará. O gosto pelo cordel ganhou o seu coração e fez surgir um novo poeta. Apolo também é carnavalesco e atual presidente da “Escola de Samba Associação Beneficente Recreativa Cultural e Carnavalesca Parafuseta da Caratateua”. É ainda, membro fundador do Movimento Literário Extremo Norte. Ele já escreveu e lançou diversos livros, entre os quais estão: Ilha de Caratateua; Reforma Agrária Urgente; Círio de Nazaré (2004); Papa João Paulo II ( 2005); Irmã Dorothy (2006); Padre Gabriel Malagrida: O construtor dos Seminários de Belém (2008) e Guapuiando Sonhos na Ilha de Itaituba (2009).

    Segue convite em anexo

    Enviado por:

    Casa da Linguagem
    Av. Nazaré nº 31- Nazaré
    Fone: (91) 3241-9786
    E-mail: casadalinguagem
    Belém-Pará-Brasil